Maternidade independente: uma realidade crescente na sociedade moderna

Texto publicado no portal HuffPost Brasil. Clique aqui e acesse a matéria no portal.

As mulheres estão mais autossuficientes e independentes a cada dia. No mundo moderno, é muito comum priorizarem a carreira e adiar a maternidade, por exemplo. A ausência de um parceiro e o desejo de ser mãe têm levado um grande número de mulheres solteiras a optarem pela chamada “produção independente”.

Ter filhos atualmente não significa necessariamente ter um companheiro ao lado e muitas mulheres estão determinadas a criar uma criança sozinhas e tem buscado o auxílio da reprodução assistida para alcançar este sonho.

A mixed race pregnant lady tries on new clothes

A tecnologia ajudou muito na construção deste novo modelo familiar, mas ela ainda não tem o poder de impedir o declínio da fertilidade feminina. Diante disso, é muito importante que as mulheres que desejam engravidar após os 35 anos procurem um profissional especializado para entender quais métodos existentes de preservação da fertilidade.

Para essas mulheres, a medicina reprodutiva apresenta alguns procedimentos conhecidos e seguros. Algumas alternativas são:

 - Congelamento de óvulos: é uma opção para aquelas mulheres que querem engravidar tardiamente com seus próprios óvulos. É importante que este procedimento seja realizado antes dos 35 anos, quando a qualidade dos óvulos está mais preservada;

 - Banco de espermatozoides: é uma alternativa para as mulheres que não possuem parceiros. Existem bancos nacionais e internacionais, nos quais a quantidade de características sobre o doador é consideravelmente maior. Toda a escolha do doador é feita de forma anônima, garantindo total sigilo para ambas as partes;

 - Doação de óvulos (ovodoação): as mulheres que já não possuem óvulos saudáveis podem recorrer à ovodoação para engravidar. Todo o processo de escolha é realizado de forma anônima.

A partir da escolha de uma das alternativas apresentadas, que é realizada caso a caso, será necessária a realização de uma Fertilização in Vitro (FIV), onde o óvulo e o espermatozoide serão fecundados e, posteriormente, transferidos ao útero materno. A FIV poderá ser realizada com os próprios óvulos descongelados e os espermatozoides doados ou de um parceiro.

Nós, especialistas de medicina reprodutiva, acompanhamos as mudanças comportamentais do mundo moderno, especialmente das mulheres. Vemos com grande satisfação a possibilidade de oferecer tratamentos seguros que possam realizar o sonho de ser mãe de todas elas, inclusive as que optam pela maternidade independente.

Dra. Michele Panzan, médica especialista em reprodução assistida do Grupo Huntington.

Dra. Michele Quaranta Panzan

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>