Dieta ‘low carb’ pode aumentar em até cinco vezes chances de engravidar

Matéria gravada na rádio CBN Rio, com participação da Dra. Fernanda Rodrigues, médica especialista em reprodução assistida da grupo Huntington.

Uma pesquisa do grupo IVI, no Reino Unido, mostra que uma dieta low carb, ou seja, baseada na baixa ingestão de carboidratos, pode aumentar em até cinco vezes a probabilidade de gravidez, sobretudo no caso de quem vai fazer fertilização. Fernanda Rodrigues, médica especialista em reprodução humana do Grupo Huntington, aconselha a ingestão de uma porção de carboidrato por dia.

Ouça a entrevista clicando aqui.

 c5d23b08-a672-44f8-90f7-1591db69feeb.jpg.640x360_q75_box-0,50,960,590_crop_detail

Dra. Fernanda

Dra. Fernanda Rodrigues, médica especialista em reprodução assistida da grupo Huntington.

Receita de suco para fertilidade

Prático e refrescante, os sucos podem contribuir para sua saúde e também na fertilidade.  São ricos em antioxidantes naturais, como vitamina C, betacaroteno, ácido elágico, antocianinas, melhoram a circulação sanguínea e saúde hormonal. Que tal 2 receitas?

641-01497024

Suco betacaroteno

1 cenoura descascada e cortada em rodelas

¼  mamão papaya

suco de 1 laranja

8 acerolas

250 ml de água gelada

Bater tudo no liquidificador, coar e tomar em seguida.

 

 

Vitamina

1 maçã pequena descascada e picada

5 morangos

1 colher (sopa) aveia

2 nozes

250 de leite desnatado ou sem lactose

Bater tudo no liquidificador e tomar em seguida.

 

 

Aproveite o verão e delicie-se!

243818_103833026373307_5360325_o

Dra. Roseli Ueno Ninomiya, nutricionista do Grupo Huntington

 

10 Dicas de beleza para quem quer engravidar

Todo mundo que já passou por um tratamento para engravidar sabe que muitas vezes se deixa a vaidade de lado. Posso dizer que  na maioria das situações isto  é totalmente desnecessário e  acabam surgindo mitos que tornam o tratamento ainda mais estressante neste momento tão frágil. Como mulher sei que para nós se sentir bonita é importante para a auto-confiança e para o bem estar emocional, quesitos fundamentais durante o tratamento. Então resolvi escrever sobre as dúvidas mais freqüentes  em relação a este assunto.

1) Vou engordar:

Não. O que irá acontecer é a retenção hídrica ou inchaço e aí a balança irá subir cerca de 1,5 kg a 2 kg. Mas após o tratamento todo este líquido será eliminado. O que observo muitas vezes é que como a atividade física é reduzida e muitas vezes a ansiedade e expectativa aumentam o apetite muitas mulheres ganham peso por diminuírem o gasto calórico e aumentarem a ingestão de alimentos. Além disso, os hormônios também podem aumentar o apetite. Fica a dica: cuidado com a alimentação.

2) Posso pintar o cabelo, fazer luzes ou alisamentos?

Até o dia da inseminação ou transferência de embriões estes procedimentos são permitidos. Além disso os hormônios utilizados no tratamento trazem a vantagem de aumentarem o crescimento e o brilho do cabelo.

Imagem1

3) Posso fazer tratamentos estéticos como peeling, laser e botox?

Vale a mesma regra que os tratamentos para os cabelos, eles também são permitidos até o dia da transferência de embriões ou inseminação. O único peeling que não é permito durante todo o tratamento é o de ácido retinóico. Estes procedimentos podem ser feitos em qualquer região do corpo à exceção do abdomen.

4) Que tipo de atividade física posso fazer?

Até a primeira semana do tratamento pode ser feita caminhada, musculação leve e pilates. Após a primeira semana e até o terceiro mês de gravidez nenhuma atividade física é recomendada, à exceção de caminhadas leves. Isto ocorre devido ao risco de torção dos ovários decorrente do inchaço produzido pelos hormônios , além das contrações uterinas que podem atrapalhar a implantação do embrião. Atividades de impacto como corrida, step, jump fit, spinning, cross fit e competições esportivas não devem ser praticadas.

5) Posso fazer dieta?

Sim e até é recomendado pois como já comentamos o gasto calórico acaba sendo menor e então é bom cuidar da alimentação. Mas nada radical ou muito restrito. É importante evitar doces e gorduras além do excesso de carboidratos que faz o organismo inchar mais. Dê preferência para grãos,cereais, frutas e verduras e carnes magras. A ingestão de líquidos também deve ser de pelo menos 2 litros ao dia incluindo água, sucos e água de coco.

Imagem3

6) E massagens ou drenagem linfática?

Massagens podem ser feitas bem como drenagem linfática e inclusive são recomendadas para melhorar a retenção hídrica. Somente o abdomen deve ser evitado.

7) Posso tomar sol?

Não precisa fugir do sol desde que use filtro solar no mínimo fator 30 e escolha os horários até as 10 horas da manhã e após as 16h. Estes cuidados devem ser seguidos pois os hormônios utilizados durante o tratamento aumentam a predisposição a manchas e queimaduras.

8) Preciso suspender tratamentos dentários?

Muito pelo contrário. Já está cientificamente provado que a saúde bucal tem muita relação com uma gravidez saudável. Gengivites e infecções dentárias podem ser inclusive motivo de contrações uterinas e causar infecções em outros locais do corpo que possam resultar em abortos.

9) Preciso ficar sem depilação?

Desde que já realizada anteriormente pela paciente não há nenhuma contra-indicação a qualquer tipo de depilação isto é um mito que foi criado inclusive para o período da gravidez. Porém a pele depilada irá exigir cuidados especiais pois ficará mais sensível e sujeita a alergias e irritações durante o tratamento e gravidez, desta forma o que não pode é se depilar pela primeira vez neste período.

10) Posso continuar com os remédios para emagrecer?

Não se tem estudos científicos provando a segurança da maioria destes remédios durante a concepção e gravidez. Por isso na maioria dos casos eles não são recomendados ,porém é sempre importante avisar o seu médico que você está usando para que ele avalie se poderá ser mantido.

Imagem4

Dra. Claudia Gomes Padilla, especialista em reprodução assitida do Grupo Huntington.

Cuide da sua fertilidade!

FertilidadeNeste mês de junho comemora-se o mês da fertilidade.  Então com este tema em evidência acredito que tão importante quanto lembramos da falta ou diminuição da fertilidade, ou seja da infertilidade, suas possíveis causas e tratamentos é falarmos sobre a fertilidade em seu aspecto mais amplo.

Nisto incluo desde a adolescência até o planejamento da gravidez. É muito importante saber como cuidar da fertilidade e estar atento para quando devemos procurar um especialista no assunto na suspeita de algo não estar indo bem.

Desde a primeira menstruação é fundamental que a mulher tenha um acompanhamento ginecológico. É muito comum que no primeiro ano as menstruações sejam irregulares, mas se isto persistir deve ser dada atenção para possíveis problemas hormonais que afetam  a ovulação como por exemplo a síndrome dos ovários policísticos. Também deve ser dada atenção a cólicas menstruais em qualquer fase da vida da mulher, principalmente se não melhoram com medicação ou são recorrentes e incapacitantes, pois podem ser um sinal de endometriose. Estes dois sintomas, a irregularidade  e a cólica menstrual, podem ser sinais de doenças que afetam a fertilidade mas que se tratadas adequadamente desde seu início evitam a tão temida infertilidade.

pesoA dieta e manutenção de um peso adequado também influenciam muito a fertilidade. É importante manter um IMC entre 19 e 25, pois tanto mulheres ou homens muito magros quanto os obesos  podem ter a sua fertilidade prejudicada. Uma dieta rica em grãos, raízes, cereais, frutas, legumes, vegetais verde escuros  e gorduras insaturadas também é fundamental. A reposição de ácido fólico cerca de 2 a 3 meses antes de engravidar também melhora a qualidade dos óvulos e espermatozóides e evita malformações do sistema nervoso central e fenda palatina no bebê quando utilizado nos primeiros 3 meses da gravidez. A vitamina D também deve estar em níveis normais e para isso a exposição moderada ao sol deve ser incentivada. Caso haja necessidade, a sua reposição durante o planejamento da gravidez e seu início são recomendadas.

Cigarro e drogas ilícitas são grandes inimigos da fertilidade. Doenças sexualmente transmissíveis, principalmente quando não tratadas e recorrentes, podem ser igualmente danosas para uma futura gestação. Já, a bebida alcóolica, quando consumida de modo moderado, não tem esse efeito negativo.

Claro que levar uma vida saudável e ir rotineiramente ao ginecologista ou ao urologista, não garantem que não haverá problema algum com a sua fertilidade, mas podem minimizar possíveis fatores de risco. E se você faz tudo isso direitinho, planejou sua gravidez e já está tentando há mais de 6 meses procure um especialista para que ele possa avaliar se há algo impeditivo ou a ser melhorado.

Claudia-Gomes-Padilla1-150x150.jpg

 

 

 

Dra. Claudia Gomes Padilla, especialista em reprodução assistida do Grupo Huntington.