O que uma futura mamãe de 1ª viagem precisa saber!

Amiga, quando a gente planeja e/ou vai ser mãe pela 1ª vez, vivemos uma fase de sonhar como vai ser quando estivermos com aquela barriga linda de grávida, como vai ser perfeito fazer o enxoval, decorar o quartinho, ter um parto perfeito, um bebê lindo e saudável, como vai ser maravilhoso amamentar nosso filho. Tudo de bom, curtimos nosso futuro bebê mesmo antes dele ser gerado.

Mas o que mais é interessante a gente também saber?! Bom, essa foi a pergunta que uma amiga me fez a um tempo atrás, e pensando um pouquinho, a minha resposta para ela foi que, maternidade é tudo de bom, mas gostaria que alguém tivesse me dado algumas dicas, como:

- nem toda a mulher tem sintomas quando engravida, isso não quer dizer que tem algo errado!

- prepare-se para ter um filho, mesmo antes de engravidar: cuide da sua saúde física e emocional, pode não acontecer tão rápido quanto você imagina!

- planejar é bom, mas planejar demais também pode atrapalhar! Isso porque, conseguir engravidar facilmente, ter uma gestação exatamente como você imagina, um parto perfeito, um bebê calminho e que nasça naquele mês exato que você planejou, a realidade pode não ser tão exata.

- nem sempre é amor à primeira vista! Ter um filho é maravilhoso, mas aquele amor infinito que imaginamos sentir no exato momento do nascimento, às vezes pode ir crescendo dia-a-dia e isso não quer dizer que você é uma mãe pior ou melhor.

- o mais importante saber sobre à amamentação é a pega correta do bebê! É ela que vai fazer toda a diferença para conseguir amamentar seu bebê!

 - nos primeiros três meses a amamentação pode ser dolorida, pois é uma fase de adaptação sua e do seu bebê.

- converse com o futuro papai, envolva ele durante todo o processo, à decisão é do casal não só do pai ou da mãe!

- não existe mãe perfeita! Nem melhor ou pior! Cada mãe é única, não existe comparação! Aliás comparações não são uma boa pedida quando o assunto é fertilidade, gravidez, maternidade e filhos!

 Essas dicas não são nenhuma regra, são apenas assuntos que também fazem parte dessa fase que vai da fertilidade à maternidade ;)

Ale-Nunes-150x1502

Alê, mãe e blogueira

10 dicas para as grávidas

Hoje queria dar 10 dicas para as grávidas, pois ouço tantos comentários como ‘puxa, se soubesse disso antes’, então achei interessante, baseada na minha experiência, fazer uma listinha com 10 dicas que eu recomendo procurar fazer ainda durante a sua gestação:

1- Não tenha receio de perguntar ao seu médico! Nessa fase você vai ter muitas e muitas dúvidas, e ninguém melhor para respondê-las do que o seu obstetra. Sugiro anotar uma listinha, para não esquecer de nada entre uma consulta e outra.

2- Aprenda a lidar com seus medos! Na gestação passamos por uma fase cheia de medos e inseguranças, medo de perder, medo de ter algum problema, medo do parto, medo de não conseguir dar conta ou não ser uma boa mãe… Enfim, acho que é importante nessa fase é aprender a lidar com esses sentimentos, sem deixá-los atrapalhar essa fase tão linda.

3- Passa muito rápido, aproveite! A gravidez passa ‘voando’, como dizia a minha avó, aproveite essa fase, curta muito sua barriga e cada semana de gestação, depois você vai morrer de saudades do seu barrigão. :)

4- Não se influencie por histórias e conselhos! Na gestação a gente ouve de tudo, ‘a prima da minha amiga, teve um parto assim ou assado!’, ‘Você não pode acostumar o bebê no colo! ’. Cada gestação é única, cada parto é único e a mãe é você, então esteja preparada para ouvir de tudo, mas deixe entrar por um ouvido e sair pelo outro, principalmente quando o assunto é parto. Se você tem dúvida ou receio sobre algum assunto, pergunte ao seu médico e futuramente ao pediatra do bebê, eles devem ser seus melhores conselheiros.

5- Converse com seu marido sobre tudo! A chegada do bebê tende a mudar muito a vida do casal e o relacionamento, a melhor dica é que vocês conversem e estejam preparados como casal. Falem sobre seus medos, sobre o que muda, sobre as dificuldades, sobre a maternidade e a paternidade, quanto vocês estiverem em sintonia, melhor e mais tranquila será essa fase tão linda que se aproxima.

6- Se hidrate! Muita água e hidratação da pele desde o início da gestação, mesmo antes da barriga começar a crescer, além de ser bom para saúde vai ajudar a evitar estrias.

7- Se informe sobre a depressão pós-parto! Esse item é um que precisava ter feito na minha gestação, não que vá acontecer com você, mas é importante entender o que se sente, como é, para, se for o caso, buscar ajuda. Eu sempre achei que podia resolver sozinha, que era uma fase, só que infelizmente não foi e se eu tivesse me informado mais a respeito, com certeza teria buscado ajuda antes e não teria agravado tanto meu quadro de DPP.

8- Aproveite mais momentos a dois! Vem por aí uma fase de grande adaptação com a chegada do bebê, é bem difícil não ser mãe em tempo integral, principalmente nos primeiros meses. Então procurem aproveitar um pouco e curtir mais momentos para vocês dois!

9- Registre sua gravidez! Como eu disse acima, essa fase passa muito rápido e vale muito registrar cada momento, desde aquela 1a sem barriga nenhuma, até aquele barrigão de 9 meses. E sem essa de ‘estou gorda’, mulher grávida é linda! Depois seu filho (a) vai adorar ver e rever as fotos dele(a) na barriga da mamãe e você tb vai poder matar um pouquinho das saudades do barrigão :)

10- Planeje seu pós-parto! Pense como serão os primeiros dias e meses com o bebê em casa. Quem vai ajudar você no começo?! Sim, é bem importante ter alguém que ajude e auxilie você, principalmente nos primeiros dias, por mais que você ache que vai dar conta, ter alguém que possa fazer uma refeição, correr para comprar uma coisa num supermercado, arrumar alguma coisa na casa ou mesmo ficar uns minutos com o bebê para você poder tomar um banho, pode parecer pouco, mas ajuda tanto, que você não faz ideia. Aliás, se tiver outro filho, está na minha lista de prioridades contratar uma pessoa para me ajudar nos primeiros meses, nem que seja meio-turno, porque por mais que se tenha o marido ou alguém que ajuda esporadicamente, ter alguém com quem contar sempre, a meu ver é um investimento bem feito.

 Ale-Nunes-150x1502

Alê Nunes, mãe e blogueira

Congelar os óvulos – qual é a idade ideal?

Está cada vez mais frequente no consultório, mulheres que procuram congelar os seus óvulos, pois não pretendem engravidar a curto prazo. Os motivos são diversos: priorizam a carreira profissional, não encontraram ainda o parceiro ideal, estão vivendo conflitos no relacionamento ou até mesmo se separaram e ainda tem o sonho de ser mãe.

check up da fertilidade_facebook

A grande questão de tudo isso é o momento da vida em que se conscientizam de que a preservação da fertilidade é possível. Vejo muitas mulheres já numa fase mais madura, perto dos 40 anos ou até com mais de 40 anos, que desejam congelar os óvulos para engravidar ainda mais tarde. Claro que isso é possível e que podemos sim congelar. Porém, também é verdade que ocorre uma queda da reserva ovariana e qualidade ovular ao longo dos anos reprodutivos da mulher. Portanto,  acima dos 35 e sobretudo acima dos 40 anos a chance de gravidez diminui por um motivo biológico. Em outras palavras, o congelamento de óvulos pode sim proporcionar uma gestação no futuro, mas a chance de isso acontecer depende da idade em que o óvulo foi congelado.

Então surge a seguinte dúvida: Qual a idade ideal para congelar os óvulos?

A resposta é: Quanto mais jovem melhor!

Ou seja, para haver uma chance real de gravidez no futuro com óvulos congelados, precisamos ter óvulos de boa qualidade no momento do congelamento. Então, quanto mais jovem for o óvulo, maior será a chance de engravidar quando descongelarmos.

Dessa forma, segue o alerta:

Se possível não adiem muito a gestação! Mas se for deixar para engravidar mais tarde, recomendo que congelem seus óvulos.

Para aquelas pacientes que desejam se planejar, congelem de preferência antes dos 35 anos, pois, muitas pacientes acima dessa idade não congelaram seus óvulos antes por falta de conhecimento!

Precisamos conscientizar a todos dessa realidade para que o sonho de ser mãe seja possível e planejado a longo prazo.

Fernanda Rodrigues

Dra. Fernanda Rodrigues, especialista em reprodução assistida do Grupo Huntington.

Qual o momento certo de fazer um Teste de Gravidez?!

Acho que uma das dúvidas mais comuns que a gente tem quando está tentando engravidar, é qual o momento certo de fazer um teste/exame de gravidez. É uma mistura de medo do negativo e vontade de saber logo se a gente conseguiu ou não, que a dúvida ainda aumenta.

how-pregnancy-tests-work-1Bom, para quem tem um ciclo regulado, o ideal é aguardar pelo menos um dia de atraso, antes disso pode não marcar. Você sabia que o hormônio da gravidez, o HCG, só começa a ser produzido após a nidação, fixação do óvulo fecundado ao útero, por isso não adianta fazer o teste antes disso.

Para quem não tem ciclo regulado, aí complica um pouco mais, nesse caso, o melhor é manter um controle de ovulação, pois sabendo o dia que você ovulou pode se calcular um período para fazer um teste de gravidez, uma margem segura é contar 17 dias pós-ovulação.

Para quem fez algum tratamento, como Fertilização in Vitro (FIV) ou inseminação artificial, o médico vai orientar o melhor período de fazer o exame, pois algumas medicações podem afetar o resultado, então é importante seguir as instruções do seu médico

Se você não tem um ciclo regulado, não faz ideia da ovulação ou se ovulou e não fez nenhum tratamento, aí o melhor mesmo é uma avaliação médica, pois fica bastante complexo calcular um período certo para fazer o teste de gravidez nessa situação.

Outra dúvida, é qual teste fazer, teste de farmácia, de sangue ou ultrassom. Bom, os testes de farmácia estão cada vez mais confiáveis e sensíveis, mas devem ser feitos seguindo corretamente as instruções de uso que constam na bula. O exame de sangue de gravidez tem 2 tipos, o Beta HCG Qualitativo, que indica apenas se é positivo ou negativo, a partir de um valor de HCG no sangue, normalmente acima de 25 ou 50 mui/ml, e o Beta HCG Quantitativo, que dá a taxa de HCG encontrada no sangue, podendo já indicar uma gestação com poucos dias e também o tempo de gestação. O ultrassom não é o exame mais indicado para detectar a gravidez inicial, pois só a partir de umas 5 semanas que se tem alguma visualização no útero.

Caso você escolha fazer um teste de farmácia, com um resultado positivo o próximo passo é fazer um beta HCG, de preferência quantitativo, para confirmar e indicar o tempo de gestação. No caso de um resultado negativo, aguarde mais uns dias e, se a menstruação não aparecer, repita o exame de gravidez.

Optando por um tipo de teste ou outro, é muito importante procurar o médico para uma avaliação, pois se o resultado for positivo é hora de iniciar o seu pré-natal e, se for negativo, é preciso avaliar o que está acontecendo.

Ale-Nunes-150x1502

Alê Nunes, mãe e blogueira