Comida caseira ajuda na saúde?

É fato que a comida feita em casa sempre é mais gostosa, afinal foi feita com os ingredientes e com a receita que você queria. No entanto, um erro comum de muitas pessoas é achar sempre que é a mais saudável. Concordo se ela for preparada sem exageros de sal, gordura, açúcar, caldos e molhos prontos. Mas na pressa do preparo e na esperança de um sabor diferenciado no prato, podem ocorrer os exageros.

Arroz: para deixar mais soltinho e com brilho, muita gente exagera na porção de óleo para dourar a cebola e o alho. Que tal dourar a cebola e o alho no óleo, acrescentar água e depois colocar o arroz?  O mesmo vale para o arroz integral.

Feijão: bacon, linguiça, toucinho, paio… dá um sabor diferenciado, mas aumenta a gordura saturada (gordura ruim) e sódio. Engorda e retém líquidos. Use temperos como folhas de louro para dar o sabor especial e sem exagerar no sal.

emagrec-comida-caseiraCarnes magras como fraldinha, maminha, lagarto, frango sem pele, e peixes são excelentes fontes de proteínas. Mas nada de afoga-las no óleo e manteiga para o preparo e evite acrescentar caldos e molhos prontos. Dê seu toque pessoal, use ervas frescas, alho, cebola e pouco óleo para o preparo.

Saladas: folhas verdes, tomate, pepino, cenoura e beterraba ralada, queijo fresco de boa qualidade. Combinação perfeita, mas na hora de colocar o azeite e o sal nada de exagero. Abuse de limão, manjericão, salsinha, cebolinha, e outras ervas frescas. Não precisa deixar a salada oleosa e cuidado com os enlatados como azeitonas, palmito, milho, ervilhas que são ricos em sódio.

Vegetais assados, refogados, cozidos: delicioso, assertivo a preparação sem excesso de óleo e manteiga, e não precisa de temperos prontos. Dê seu toque especial no preparo.

Cultivar uma pequena horta na janela da sua casa pode fazer a diferença na sua saúde. Que tal vaso de manjericão, tomilho, alecrim, cebolinha?

Corpo saudável contribui para a manutenção da saúde!

243818_103833026373307_5360325_o

Dra. Roseli Ueno Ninomiya, nutricionista do Grupo Huntington

10 Dicas de beleza para quem quer engravidar

Todo mundo que já passou por um tratamento para engravidar sabe que muitas vezes se deixa a vaidade de lado. Posso dizer que  na maioria das situações isto  é totalmente desnecessário e  acabam surgindo mitos que tornam o tratamento ainda mais estressante neste momento tão frágil. Como mulher sei que para nós se sentir bonita é importante para a auto-confiança e para o bem estar emocional, quesitos fundamentais durante o tratamento. Então resolvi escrever sobre as dúvidas mais freqüentes  em relação a este assunto.

1) Vou engordar:

Não. O que irá acontecer é a retenção hídrica ou inchaço e aí a balança irá subir cerca de 1,5 kg a 2 kg. Mas após o tratamento todo este líquido será eliminado. O que observo muitas vezes é que como a atividade física é reduzida e muitas vezes a ansiedade e expectativa aumentam o apetite muitas mulheres ganham peso por diminuírem o gasto calórico e aumentarem a ingestão de alimentos. Além disso, os hormônios também podem aumentar o apetite. Fica a dica: cuidado com a alimentação.

2) Posso pintar o cabelo, fazer luzes ou alisamentos?

Até o dia da inseminação ou transferência de embriões estes procedimentos são permitidos. Além disso os hormônios utilizados no tratamento trazem a vantagem de aumentarem o crescimento e o brilho do cabelo.

Imagem1

3) Posso fazer tratamentos estéticos como peeling, laser e botox?

Vale a mesma regra que os tratamentos para os cabelos, eles também são permitidos até o dia da transferência de embriões ou inseminação. O único peeling que não é permito durante todo o tratamento é o de ácido retinóico. Estes procedimentos podem ser feitos em qualquer região do corpo à exceção do abdomen.

4) Que tipo de atividade física posso fazer?

Até a primeira semana do tratamento pode ser feita caminhada, musculação leve e pilates. Após a primeira semana e até o terceiro mês de gravidez nenhuma atividade física é recomendada, à exceção de caminhadas leves. Isto ocorre devido ao risco de torção dos ovários decorrente do inchaço produzido pelos hormônios , além das contrações uterinas que podem atrapalhar a implantação do embrião. Atividades de impacto como corrida, step, jump fit, spinning, cross fit e competições esportivas não devem ser praticadas.

5) Posso fazer dieta?

Sim e até é recomendado pois como já comentamos o gasto calórico acaba sendo menor e então é bom cuidar da alimentação. Mas nada radical ou muito restrito. É importante evitar doces e gorduras além do excesso de carboidratos que faz o organismo inchar mais. Dê preferência para grãos,cereais, frutas e verduras e carnes magras. A ingestão de líquidos também deve ser de pelo menos 2 litros ao dia incluindo água, sucos e água de coco.

Imagem3

6) E massagens ou drenagem linfática?

Massagens podem ser feitas bem como drenagem linfática e inclusive são recomendadas para melhorar a retenção hídrica. Somente o abdomen deve ser evitado.

7) Posso tomar sol?

Não precisa fugir do sol desde que use filtro solar no mínimo fator 30 e escolha os horários até as 10 horas da manhã e após as 16h. Estes cuidados devem ser seguidos pois os hormônios utilizados durante o tratamento aumentam a predisposição a manchas e queimaduras.

8) Preciso suspender tratamentos dentários?

Muito pelo contrário. Já está cientificamente provado que a saúde bucal tem muita relação com uma gravidez saudável. Gengivites e infecções dentárias podem ser inclusive motivo de contrações uterinas e causar infecções em outros locais do corpo que possam resultar em abortos.

9) Preciso ficar sem depilação?

Desde que já realizada anteriormente pela paciente não há nenhuma contra-indicação a qualquer tipo de depilação isto é um mito que foi criado inclusive para o período da gravidez. Porém a pele depilada irá exigir cuidados especiais pois ficará mais sensível e sujeita a alergias e irritações durante o tratamento e gravidez, desta forma o que não pode é se depilar pela primeira vez neste período.

10) Posso continuar com os remédios para emagrecer?

Não se tem estudos científicos provando a segurança da maioria destes remédios durante a concepção e gravidez. Por isso na maioria dos casos eles não são recomendados ,porém é sempre importante avisar o seu médico que você está usando para que ele avalie se poderá ser mantido.

Imagem4

Dra. Claudia Gomes Padilla, especialista em reprodução assitida do Grupo Huntington.