Vontade de desistir

Hoje queria conversar um pouco sobre um sentimento muito comum entre nós tentantes, a vontade de desistir. É quase impossível encontrar uma tentante, que já não tenha dito ou pensado ‘vou desistir’, eu mesma, muitas vezes, pensei nisso.

Em qualquer situação da vida, é tão frustrante, quando a gente deseja tanto, quer tanto e tem que enfrentar uma decepção. No caso de uma mulher ou casal que tenta engravidar, isso se potencializa muito, pois é algo que temos que enfrentar mensalmente, muitas vezes por anos a fio. Como não pensar em desistir?!

13426crianca

A meu ver, quase impossível. Essa fase do ‘desejo de desistir’ é mais uma das várias fases da vida de tentante, algo muito comum e natural. Mas apesar de normal, é uma fase que precisa ser superada. E aí entra a maior virtude de uma tentante, a meu ver, a persistência, a força de superação para seguir em frente. Descobrimos uma força que nem sabia que tínhamos, pois o desejo de ser mãe é sempre muito maior que a vontade de desistir.

Depois que finalmente realizamos nosso sonho e temos nosso bebê nos braços, olhamos para trás e entendemos que tudo que passamos foi uma grande fase de aprendizado, uma fase que nos preparou para ser uma mãe ainda melhor.

Então minha amiga, se você ainda está na luta, acredite, persista, siga em frente, por mais difícil que o caminho seja. Chore se quiser chorar, dê um tempo para você(s) se precisar, procure ajuda, se for o caso, tente relaxar fazendo algo que você gosta. Faz bem, alivia toda essa ‘carga’, mas sempre deixe o coração acalmar para decidir o que fazer.

flor-barriga-gravida

Com certeza não é fácil administrar nosso emocional, não é fácil se submeter a tratamentos, controles de ovulação, administrar a ansiedade, mas veja isso como uma etapa de preparação que precisa acontecer e vai lhe trazer a maior recompensa de todas: a maternidade!

 Ale-Nunes-150x1502

Alê Nunes, mãe e blogueira.

E quando o tratamento não dá certo?

      Já falei aqui com vocês sobre como podemos nos preparar para um tratamento de fertilidade, mas hoje queria falar sobre como enfrentar a situação se o tratamento não teve sucesso.

mulher-triste-raiva-danuza-leao-claudia

Acho que a maior barreira a se enfrentar é conseguir lidar com nossos próprios sentimentos, decepção, tristeza, desânimo, sensação de incapacidade e até revolta. Por mais que a gente se prepare para um tratamento, por mais que se saiba quais são as chances de sucesso, é nesse chance que a gente se agarra, com todas as forças. Por mais que se saiba que não pode dar certo, é muito difícil pensar nessa possibilidade e mais ainda encará-la. Recentemente tive algumas pessoas próximas que passaram por isso, acho que é isso que me motivou a escrever sobre esse assunto.

Depois da decepção é hora de ‘juntar os caquinhos’, respirar fundo e parar para pensar. O que pode ajudar e não fugir, enfrentar tudo isso, tire seu momento para chorar, colocar para fora tudo isso, depois é o momento de dar um tempo para cabeça, tentem fazer alguma coisa para isso, um cinema, uma viagem, assistir uma comédia no DVD ou na TV, uma boa caminhada ao ar livre, enfim alguma coisa que ajude a aliviar as tensões e os pensamentos. Acho que só depois que a gente esfria a cabeça e se equilibra de novo, é o momento de voltar a pensar no que fazer a seguir.

tumblr_l9xainBk3g1qd97nlDesistir não acho que seja uma possibilidade, é hora do casal sentar com seu médico e conversar para tentar entender o que aconteceu e o que fazer agora, o que fazer para aumentar as chances de sucesso numa próxima tentativa.

Mas se você não está conseguindo lidar com tudo isso, meu conselho é procurar ajuda psicológica, e isso não é atestado de incapacidade não. A ajuda psicológica deveria ser pré-requisito, a meu ver, para um bom tratamento de fertilidade, pois estar bem emocionalmente é um dos alicerces de toda essa situação.

 Ale-Nunes-150x1502

Alê Nunes, mãe e blogueira

É hora de enfrentar um tratamento de fertilidade, e agora?

pais-bebe-grandeQuando a gente precisa de um tratamento de reprodução assistida acho que mais do que nunca o casal precisa se preparar psicologicamente, afinal quem está preparado para ouvir que vai precisar de ajuda para engravidar? O primeiro impacto é aceitar que será preciso se tratar e não é nada fácil. A gente sonha, planeja e acha que vai engravidar logo e de repente se vê em meio a uma dificuldade. Por mais que se saiba que é algo comum, que pode acontecer, a gente nunca espera que vai acontecer logo com a gente, bom, pelo menos comigo e com meu marido foi assim, parece que tiraram nosso chão.

Passada essa primeira fase, é hora de encarar a realidade e pensar em se preparar para as possibilidades, pois infelizmente mesmo com um tratamento de reprodução assistida não há certeza de sucesso e é quase impossível não se empolgar que na 1a tentativa já teremos nosso bebê. Não que seja preciso nos desmotivarmos por isso, mas é preciso manter o “pé no chão”, ter um certo equilíbrio entre o otimismo e as reais possibilidades.

Quanto a ansiedade, acho que é bem óbvio que quanto mais conseguir controlar é melhor, pois ela não é uma boa companheira e muito menos conselheira nessas horas.

Ter uma boa conversa de casal, saber as expectativas e medos um do outro, se apoiar, acho que é muito importante. Essa questão é um desafio para o casal, não só para um ou para outro. Esse amadurecimento ainda nos ajuda muito para futuramente nos tornarmos pais. Acho que seria como uma “aula preparatória”.

Conversem com o médico para esclarecer todas as dúvidas. Acreditar que a melhor escolha é realizar um tratamento e ter o máximo de informação vai ajudar para que vocês se sintam mais seguros.

Outro ponto fundamental é não se culpar. Não importa se há problemas, agora é hora de respirar fundo e seguir em frente, pois logo ali na frente, um belo futuro nos espera :)

Ale-Nunes-150x150.jpg

 

 

Alê Nunes, mãe e blogueira