Realizando FIV em outra cidade: conheça as etapas

A Fertilização In Vitro (FIV) é uma opção para muitos casais que enfrentam problemas de fertilidade por ser o método com maior taxa de sucesso. Muitos pacientes que desejam filhos moram em cidades que não possuem serviços de Reprodução Assistida ou querem realizar tratamento num grande centro de referência. E para isso, precisam realizar o tratamento em outra cidade.

De acordo com o 12º Relatório do Sistema Nacional de Produção de Embriões (SisEmbrio), elaborado pela Anvisa, a região sudeste concentra os maiores números de ciclos de Fertilização In Vitro, cerca de 65%.

Pensando nessa realidade, queremos ajudar quem precisa realizar a FIV e mora em outra cidade a se programar para que o tratamento ocorra com a maior comodidade possível.

Se esse é o seu caso, continue a leitura para conhecer as etapas da Fertilização In Vitro, como otimizar o seu tempo de tratamento e outras considerações importantes.

FIV em outra cidade: é importante utilizar os recursos locais.

Após a consulta de avaliação inicial e, se necessário retorno para checar exames e programar o tratamento, o ciclo de Fertilização In Vitro é iniciado. A tecnologia veio para nos ajudar e muitas vezes essas consultas podem ser realizadas através da telemedicina (consultas por vídeo).

Para quem vai fazer a FIV em outra cidade, poupar tempo é essencial. Por isso, é melhor realizar os exames necessários na sua cidade natal.

FIV em outra cidade: exames que as mulheres devem fazer

Cada caso deve ser avaliado individualmente e algumas mulheres podem precisar de exames que outras não precisam. Mas em geral, os exames mais comumente solicitados são:

  • Ultrassonografia transvaginal: analisa as condições dos ovários e do útero;

  • Exames hormonais: estes têm o objetivo de compreender o funcionamento hormonal da mulher, especialmente hormônios produzidos pela tireoide e ovários, como o Hormônio Antimulleriano;

  • Exames sorológicos: são obrigatórios, de acordo com a Anvisa, pois detectam a presença de infecções sexualmente transmissíveis.

FIV em outra cidade: exames que os homens devem fazer

  • Análise seminal: detecta alterações no sêmen e é conhecido como espermograma.

  • Fragmentação de DNA: verifica a qualidade de DNA carregado pelos espermatozoides;

  • Ultrassom da bolsa testicular: detecta varicocele e alterações de tamanho e aparência dos testículos;

  • Exames sorológicos: assim como para as mulheres, para os homens eles também são obrigatórios, pois identificam a presença de infecções sexualmente transmissíveis.

Assim como para mulheres, cada caso deve ser avaliado individualmente e alguns homens podem precisar de exames que outros não precisam.

Realizando todos esses exames na sua cidade natal você poupa tempo, de modo que realizar a FIV em outra cidade será muito mais cômodo.

Quais são as etapas da FIV? Entenda os 10 passos do tratamento

A FIV representa um grande avanço da ciência reprodutiva e, por ser algo tão inovador, requer tecnologias, insumos e profissionais especializados que geralmente não estão disponíveis nas regiões mais interioranas do país.

Dessa forma, muitas pessoas precisam viajar para realizar a FIV em outra cidade, o que pode tornar todo o processo mais cansativo, pois além da ansiedade de estar passando pelo tratamento, existem os trâmites de deslocamento e transporte.

Considerando tudo isso, a melhor forma de tornar esse processo mais confortável é se planejando ao máximo.

Com o tratamento planejado nas consultas já realizadas, tudo fica mais fácil. Vamos conhecer os passos do tratamento?

  • 1º Passo: Realização do exame hormonal, ultrassom e determinação do melhor momento para início da medicação;

  • 2º Passo: Estimulação ovariana através de medicamentos hormonais e monitoramento do crescimento dos folículos ovarianos por ultrassonografia;

  • 3º Passo: Aspiração dos óvulos realizada em centro cirúrgico ambulatorial;

  • 4º Passo: Coleta do sêmen a fresco ou descongelamento de sêmen escolhido previamente de banco de gametas;

  • 5º Passo: Manipulação dos gametas em laboratório, com a fertilização In Vitro dos óvulos pelos espermatozoides selecionados;

  • 6º Passo: análise da viabilidade dos óvulos fecundados e seguimento dos embriões formados;

  • 7º Passo: Preparo do útero para implantação dos embriões por meio de medicamentos;

  • 8º Passo: Transferência dos embriões para o útero;

  • 9º Passo: Criopreservação de gametas e embriões, se houver excedentes;

  • 10º Passo: Exame de BhCG para verificar se a FIV foi bem-sucedida.

Como você pôde perceber, o tratamento é bastante extenso e desde a avaliação inicial até a realização do exame de gravidez pode levar pouco mais do que 30 dias. Em situações em que há necessidade de congelamento do embrião e posterior preparo uterino para transferência pode levar até 60 dias.

Muitos pacientes contam com serviços de apoio em sua cidade, com seu já conhecido ginecologista ou algum local que realize ultrassonografias. Nestes casos, os passos 1 e 2, que podem levar cerca de 10 dias, muitas vezes podem ser realizados na cidade de origem.

Mas, se você vai realizar a FIV em outra cidade, não se preocupe pois não será necessário pedir férias do trabalho se fizer um planejamento minucioso.

Juntando os pontos: 4 dicas para realizar a FIV em outra cidade

Agilizando todos os itens já comentados, você pode se deslocar para a clínica apenas para as etapas fundamentais. Além disso, se atente para essas dicas:

1. Combine a folga no seu trabalho

Com antecedência, converse no seu trabalho sobre os seus planos de realizar a FIV ou um tratamento médico em outra cidade e combine os dias que irá se ausentar. Tudo isso poderá ser combinado com seu médico, via telemedicina, no planejamento do tratamento.

2. Faça um orçamento prévio

Calcule os gastos que você terá com acomodação, transporte e alimentação fora de casa, e separe um dinheiro extra para caso ocorra algum imprevisto.

3. Reserve um local de estadia próximo à clínica

Quanto mais perto for a clínica do local que você ficar, mais tempo e dinheiro você vai economizar. Leve isso em conta!

4. Faça uma lista de todos os exames

Antes de viajar, faça uma lista de todos os exames e documentos que precisa levar e um checklist, garantindo que não está esquecendo nada.

Seguindo essas etapas você estará preparado para realizar a FIV em outra cidade!

Não se esqueça das consultas ao longo do tratamento

No decorrer do tratamento serão necessárias visitas presenciais para acompanhamento médico. Por isso, é importante que você permaneça na cidade da clínica em alguns momentos.

Nós entendemos que pode ser desconfortável passar por esse momento fora de casa, mas pense que não é um período tão longo e lembre-se de que muitas clínicas oferecem todo o apoio emocional necessário nessa etapa, como é o caso da Huntington.

E então, planeja realizar a FIV em outra cidade? Aqui no nosso blog nós temos muitos outros conteúdos que vão te ajudar a se preparar. Continue conosco!

fertilizacao-in-vitro

Inseminação Artificial: 5 custos para realizar o procedimento

A inseminação artificial (IA) ou Inseminação Intra-uterina (IIU) é uma técnica de reprodução assistida indicada para casais que sofrem com graus leves de infertilidade.

Essa técnica é bem simples e foi utilizada pela primeira vez pelos árabes no ano de 1332 com o intuito de inseminar equinos. Na década de 1970 ela já era bastante difundida no ocidente, mas de forma imprecisa, o que resultava em uma baixa taxa de sucesso.

Com a chegada da fertilização in vitro, a IA ficou um pouco de lado, mas com mais investimento em estudos na área da reprodução assistida, esse procedimento foi aprimorado e é bastante utilizado atualmente.

Deseja saber mais sobre o assunto? Então este artigo é para você!

Continue a leitura para descobrir como é feita a inseminação artificial, para quem essa técnica é indicada e quais são os cinco custos envolvidos no tratamento.

Inseminação artificial: para quem o procedimento é indicado e são os custos envolvidos

Se você está considerando realizar um tratamento de fertilidade, o primeiro passo para se informar sobre o tema é conhecer cada etapa do procedimento.

Vamos lá?

Passo a passo inseminação artificial: as 5 etapas

  • 1º Passo – Consulta Inicial: este é o ponto de partida para todas as pessoas que desejam realizar algum tratamento de fertilidade. Nesta consulta, o médico avalia a saúde reprodutiva do casal e dá o parecer a respeito de qual procedimento é o mais indicado.

  • 2º Passo – Estimulação ovariana: se o médico indicar a realização da IA é feito o tratamento, que começa com a estimulação ovariana, através de medicamentos hormonais que impulsionam o desenvolvimento folicular. Nesta etapa, é feito o acompanhamento através de ultrassom e medição dos níveis hormonais no sangue.

  • 3º Passo – Indução da ovulação: quando os folículos atingirem o tamanho ideal, é administrada uma injeção de HCG que induz  a maturação do óvulo e a sua liberação. Assim, a IA ocorrerá 36 horas após essa etapa.

  • 4º Passo – Preparação do sêmen: duas horas antes da IA é realizada a coleta do sêmen, que será processado em laboratório para permitir que a amostra seja injetada na cavidade uterina, possibilitando a fertilização do(s) óvulo(s) liberado(s).

  • 5º Passo – Inseminação Artificial: com o auxílio de um cateter, os gametas masculinos serão inseridos na cavidade uterina para que ocorra a fecundação. Cerca de 14 dias depois é realizado o exame para confirmar a gravidez.

Por ser um procedimento de baixa complexidade, no qual a fecundação do óvulo ocorre naturalmente, as taxas de sucesso são menores quando comparadas com a Fertilização in Vitro (FIV). Porém, elas são superiores em contrapartida à fertilização natural!

Na IA a chance de gravidez bem-sucedida é de 15% a 20%, a depender de fatores como a idade da mulher e a qualidade do sêmen. Já a fertilização in vitro pode ter uma chance de sucesso superior a 60%, dependendo também de diversos fatores.

Agora que você já conhece todos os detalhes sobre o tratamento, vamos entender para quem ele é indicado.

Inseminação artificial: para quem o procedimento é indicado

A inseminação artificial é um procedimento de complexidade inferior à fertilização in vitro, por isso não é indicada para todos os casos de infertilidade.

Ela é eficiente em casos mais leves, como quando o homem apresenta algum problema de ejaculação ou alterações seminais leves, tal qual a baixa quantidade de espermatozoides.

Há, também, forte indicação para mulheres com menos de 35 anos que desejam uma produção independente ou que tenham irregularidades no ciclo menstrual.

Casais homoafetivos femininos e casais sem causa de infertilidade aparente também podem se beneficiar do tratamento.

Os 5 custos envolvidos no tratamento de inseminação artificial

A IA envolve menos etapas do que a FIV, por isso o seu valor é bem menor. Mas, ainda assim existem gastos que precisam ser pontuados, que são:

  1. Consulta inicial com o médico especialista para a análise de exames que o casal deve realizar previamente;

  2. Tratamento de estimulação ovariana;

  3. Procedimento de indução a ovulação;

  4. Manipulação do sêmen em laboratório;

  5. E, por fim, a própria inseminação artificial.

Esses são os cinco principais custos envolvidos nesse tipo de tratamento de fertilidade.

Vale ressaltar que, para ter maiores taxas de sucesso, é necessário que ele seja realizado por um corpo clínico composto por um médico especialista, enfermeiros e técnicos capacitados!

Nos valores cobrados pelo procedimento, estão inclusos os custos dos insumos utilizados, a manutenção dos equipamentos de ponta que estão envolvidos em cada uma das etapas, bem como da infraestrutura da clínica de reprodução humana.

E, nunca se esqueça: ao optar por um tratamento de fertilidade, o mais importante a ser avaliado não é o custo e sim os benefícios que ele pode trazer para a sua vida.

Gostou de saber mais sobre a inseminação artificial? Continue no nosso blog para ter acesso a mais conteúdo como esse!

inseminaçao-artificial

A produção independente, ou maternidade solo.

A produção independente, ou maternidade solo, é uma forma de tratamento da medicina reprodutiva que permite às mulheres terem filhos sem a participação da figura paterna ao longo da concepção. Para tal, utilizam-se espermatozoides de um banco de semen.

⠀Na Huntington, a seleção do esperma doado passa por um rigoroso processo, garantindo toda a segurança necessária para a nossa paciente.
Quer saber mais? Agende uma consulta online ou presencial.

mater

Confert 2021 – É HOJE!

É HOJE! Você, ginecologista ou embriologista, já se inscreveu pro evento científico gratuito do Grupo Huntington?
⠀⠀
A aula online de hoje (28/4) terá como tema “Conceito Atual no Congelamento de Óvulos”, e acontece das 19h às 20h.

✅A aula é gratuita e traz os especialistas do Grupo Huntington:
Dr. Eduardo Motta – Sócio Diretor do Grupo Huntington
Dra. Claudia Gomes Padilla – coordenadora das Unidades Ibirapuera e Brasília
Dra. Ana Paula Aquino – responsável pelas doadoras de óvulos na Huntington
Dra. Lívia Munhoz – especialista em reprodução assistida da Unidade Brasília.

✅AINDA DÁ TEMPO: inscreva-se já AQUI.

Post EHoje Confert2021 GHT Abr2021 Face Insta