Congelamento de óvulos: para quem é ideal?

O congelamento de óvulos é uma grande conquista para mulheres que desejam engravidar futuramente, mas entendem que a idade pode ser um fator impeditivo para realizar esse desejo.

A técnica permite que elas possam escolher quando e em que condições engravidar. Além disso, também possibilita que casais homoafetivos e mães solo gerem uma criança.

Trata-se de um grande avanço na área médica, mas o tema ainda pode gerar dúvidas!

Você tem interesse em desvendar este assunto? Então, continue a leitura!

Neste artigo, vamos falar sobre este método, para quem é indicado, como ele é feito e qual a sua importância para as mulheres!

Congelamento de óvulos: o que é, para quem é indicado e como é feito

O congelamento de óvulos é indicado para todas as mulheres que desejam adiar a gravidez.

Neste procedimento, os óvulos são coletados diretamente do ovário e submetidos ao processo de vitrificação, uma técnica que preserva a qualidade morfológica e do material genético do óvulo e permite que ele seja utilizado posteriormente por meio da fertilização in vitro.

Para quem é indicada a intervenção?

Geralmente, a técnica de congelamento é indicada para mulheres com mais de 30 anos e que não têm intenção de engravidar antes dos 35. Isso garante que os óvulos fiquem preservados com a mesma qualidade de quando foram coletados e possam ser usados mais à frente com as mesmas chances de gravidez da idade em que a mulher os congelou.

Vale ressaltar que, quanto mais jovem a mulher for, melhor será a saúde de seus óvulos, o que facilitará a gravidez no momento propício.
Além disso, é importante que a mulher saiba que ela precisará realizar um tratamento de estimulação hormonal da ovulação. É necessário também o acompanhamento com ultrassom da produção dos óvulos pelo organismo e isso requer disponibilidade de tempo.

Inclusive, isso aponta para a necessidade de o tratamento ser realizado por um médico competente e em uma clínica de confiança!

Como é feito o congelamento de óvulos?

Antes do procedimento, a mulher é submetida a alguns exames para avaliar sua saúde e sua reserva ovariana, que é a quantidade de óvulos nos ovários.
O ovário amadurece e libera apenas um óvulo por mês.
Assim, para o congelamento de óvulos, é necessário fazer a indução da ovulação, que consiste na estimulação hormonal dos ovários o que permite que vários óvulos sejam produzidos em um só ciclo menstrual.
Este procedimento é feito utilizando medicamentos injetáveis conhecidos como gonadotrofinas. Elas são aplicadas de 10 a 12 dias antes da captação dos óvulos, são fáceis de manusear e as aplicações podem ser feitas pela própria paciente em sua casa!

Em torno no 12º dia de administração do medicamento, é realizada a captação dos óvulos. A intervenção é feita com a mulher sedada e, com uma agulha acoplada em um aparelho de ultrassom endovaginal, os óvulos são coletados através da vagina.
Por fim, um embriologista irá avaliar a qualidade dos óvulos e os que estiverem maduros e adequados para fertilização no futuro, serão congelados.
O congelamento é feito através da submersão dos óvulos em nitrogênio líquido que reduz a temperatura a 196° negativos em poucos minutos!

Congelamento de óvulos e o empoderamento feminino

Algumas décadas atrás, as mulheres tinham filhos muito cedo, logo, a preocupação com a idade para engravidar era pouca, na verdade, quase não existia.
Porém, muitas foram as conquistas femininas nos últimos anos e hoje as mulheres buscam seus objetivos profissionais e acadêmicos antes de considerar constituir uma família.

Dessa forma, o congelamento de óvulos aproxima as mulheres da igualdade em relação aos homens neste assunto.

Agora, elas podem escolher quando gerar uma criança, contrariando a questão biológica que diz que elas só são férteis até os 40 anos (e, mesmo assim, com dificuldade de engravidar de formas naturais).

A vontade de ser mãe pode surgir mais tarde, ou nem surgir, mas é importante que a mulher tenha a opção de escolher! É muito importante também lembrar que o congelamento de óvulos não garante a gestação futura e sim aumenta as chances futuras da gravidez ocorrer. Por exemplo uma mulher que congelar seus óvulos aos 30 anos terá as mesmas chances de gravidez se tentar engravidar utilizando estes óvulos no futuro quando tiver 40 anos.

Perguntas frequentes sobre congelamento de óvulos

Separamos aqui algumas perguntas frequentes a respeito da intervenção.

1. O congelamento diminui a qualidade dos óvulos para a fertilização?

Não se os óvulos forem de boa qualidade. A utilização deste método não diminui a possibilidade de fertilização dos óvulos, porém óvulos de menor qualidade podem ser mais sensíveis e não sobreviverem ao descongelamento.

2. Os óvulos possuem “data de validade”?

Não. Eles poderão ser descongelados e implantados no útero quando a mulher quiser. Entretanto, o Conselho Federal de Medicina defende que eles devem ser usados até que a mulher complete 50 anos, pois, após essa idade, os riscos de complicações na gestação aumentam podem trazer problemas tanto para a mulher como para o bebê.

Você gostou deste artigo? Tem interesse no assunto e quer saber mais sobre o congelamento de óvulos?
Agende agora um horário na Clínica Huntington e nos faça uma visita. Vamos adorar recebê-la para sanar todas as suas dúvidas!
Nossos contatos são:
São Paulo e Demais Localidades: (11) 3059-6100
Campinas e Região: 0800-777-6100
Brasília: (61) 3550-1633

congelamento-de-ovulos

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>