Infertilidade masculina: 5 alternativas para homens que querem ter filhos

Por muito tempo  se acreditou que o insucesso da concepção estava relacionado a algum problema somente do lado feminino. Hoje, por outro lado, sabemos que a infertilidade masculina também é um fator preponderante.

De acordo com a bióloga da Unicamp, Anne Ropelle, em 40% dos casos de dificuldade para engravidar a disfunção é masculina, em 40% dos casos é feminina e em 20% dos casos é dos dois.

Felizmente, a medicina reprodutiva evoluiu muito nos últimos anos e um diagnóstico de infertilidade não coloca fim no sonho de ter filhos biológicos, e é isso que vamos abordar neste texto.

Continue a leitura para compreender o que é a infertilidade masculina, fatores que afetam a saúde reprodutiva do homem e 5 alternativas para superar este problema.

O que é infertilidade masculina?

A infertilidade é determinada quando um casal em idade fértil tem relações sexuais sem uso de métodos contraceptivos por um ano e, ainda assim, não conseguem engravidar.

Quando é detectado que este problema ocorre por alguma disfunção relacionada ao espermatozóide ou algum aspecto do sistema reprodutor do homem, é determinada a infertilidade masculina.

Atualmente, este problema vem sendo bastante comum, como citamos na introdução, a infertilidade masculina é responsável por 40% dos casos de dificuldade para engravidar.

A infertilidade masculina vem aumentando nos últimos anos. É o que mostra o estudo da bióloga Anne Ropelle, que analisou amostras de sêmen colhidas de 1989 a 2016. Os resultados indicaram que as amostras dos anos 1980 tinham média de 86 milhões de espermatozoides por mililitro , enquanto as de 2016 mostraram uma queda nessa quantidade média, 48 milhões por mililitro.

Já a taxa média de motilidade caiu de 47% para 35%, enquanto a taxa média de espermatozóides morfologicamente normais caiu de 37% para 3%!

A queda da fertilidade masculina está intimamente relacionada ao estilo de vida. Por isso, vamos, agora, conhecer os fatores que podem estar prejudicando a saúde reprodutiva dos homens.

Fatores que afetam a fertilidade masculina

A maior ameaça aos espermatozóides é o estilo de vida sedentário, má alimentação, abuso de álcool, tabaco e cafeína.

Sobrepeso

O sobrepeso é um dos principais fatores para a infertilidade masculina. Homens com IMC acima de 35 têm uma probabilidade muito maior de ter alterações no número e função dos espermatozóides.

Isso ocorre porque o tecido adiposo, aquele que estoca gordura, libera enzimas que afetam a testosterona, um hormônio essencial na produção de gametas masculinos.

Além disso, este tecido estimula um estado inflamatório no organismo, que atrapalha toda a regulação hormonal necessária para uma boa saúde reprodutiva. Se pensarmos que 57% dos homens do Brasil estão obesos, evidencia-se o tamanho do problema da infertilidade masculina.

Se esse é o seu caso, não se preocupe! Felizmente esse quadro é reversível e a prática de exercícios físicos com consequente perda de peso, melhora a qualidade do esperma. É o que mostra um estudo conduzido na China, que analisou 700 amostras de sêmen. E os resultados? Homens que eram mais ativos tinham espermatozoides mais saudáveis e ágeis.

Uso de drogas, álcool, tabaco 

Outro problema é o uso de drogas, como álcool, tabaco e substâncias ilícitas, que afetam não só a quantidade de espermatozóides, mas também a capacidade de fecundação dessas células.

Além desses fatores, alguns hábitos comuns que parecem inofensivos podem ser prejudiciais, como apoiar o notebook no colo, usar cuecas apertadas ou frequentar saunas. Tudo isso aumenta a temperatura dos testículos e pode danificar os espermatozóides.

Se você suspeita de um quadro de infertilidade, procure uma clínica especializada para que seja feito o diagnóstico, e não desanime! Mesmo diante deste obstáculo ainda é possível ser pai.

5 alternativas para homens que querem ter filhos

Antes de pensar em tratamentos para infertilidade masculina, é preciso obter um diagnóstico correto para identificar a causa da disfunção, pois isso ditará qual abordagem deve ser utilizada.

Vamos conhecer agora 5 alternativas disponíveis para homens que querem ter filhos.

Tratamento cirúrgico

A abordagem cirúrgica, embora pareça drástica, é muito utilizada em casos de reversão de vasectomia e para tratamento de casos graves de varicocele, que são veias dilatadas nos testículos.

Além disso, a cirurgia pode ser considerada quando o homem tem dificuldade em ejacular ou quando há a ausência de espermatozoides no sêmen, nesse caso é feita a extração dos gametas diretamente do testículo ou do epidídimo.

Reposição hormonal

Quando a infertilidade masculina ocorre devido a alguma disfunção hormonal, tratamentos que visam restabelecer o equilíbrio endócrino são bastante eficazes e eliminam a necessidade de cirurgia.

Tratamento de infecções

Infecções sexualmente transmissíveis (IST’s) podem estar relacionadas com a infertilidade masculina. As maiores vilãs são a clamídia, gonorreia e sífilis.

Essas bactérias causam inflamações no epidídimo ou no testículo, que como resultado atrapalham a produção, o armazenamento e a trajetória dos espermatozoides.

A boa notícia é que os tratamentos com antibióticos são eficazes.

Fertilização in vitro

Esta técnica de reprodução humana assistida tem de 30% a 60% de sucesso, dependendo de diversos fatores, como a idade da mulher, quantidade e qualidade de óvulos e espermatozóides, dentre outros.

Ela é indicada para homens com alterações moderadas a graves no sêmen e consiste na coleta dos gametas, femininos ( óvulo) e masculinos( espermatozóides). No laboratório, ocorre a fecundação para posterior implantação do embrião no útero.

ICSI

Mais uma técnica de reprodução assistida que pode ser usada durante a fertilização in vitro, a ICSI é a chamada injeção intracitoplasmática de espermatozoides.

Consiste na seleção de espermas saudáveis e sua posterior introdução no óvulo, através de uma agulha de cristal. É indicada para espermatozóides com alterações na morfologia, ou seja, no formato da célula, que pode resultar em dificuldade para entrada do espermatozóides dentro do óvulo, ou seja, para a fecundação.

Conclusão

A infertilidade masculina é um problema comum na atualidade, principalmente devido ao estilo de vida que grande parte dos homens leva.

Mas, felizmente, o campo da reprodução humana vem avançando bastante e existem opções de tratamento disponíveis.

O mais importante nesses casos é escolher uma clínica especializada em reprodução assistida que seja de confiança para obtenção de diagnóstico correto e determinação de métodos assertivos para superar este problema.

Para mais conteúdo como esse continue no nosso blog e nos acompanhe nas redes sociais, estamos no Instagram, Facebook e YouTube!

https://blog.huntington.com.br/wp-content/uploads/sites/3/2021/02/infertilidade-masculina.jpg

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>